Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A culpa é dos psicólogos

por Pedro Brinca, em 18.02.14

Ainda não há muitos anos, as crianças simplesmente cresciam. E os pais garantiam-lhes as condições mínimas para tal. De resto, serviam para ajudar na lida da casa, se fossem meninas, ou na horta, no caso dos rapazes. E que não atrapalhassem. Nem pensar que se metessem em conversas ou assuntos de adultos. Os fedelhos não tinham importância.

 

Depois, de repente, veio uma geração de pais que centrou a sua vida em redor dos filhos. Passaram a condicionar horários e a gerir as agendas para ir levar e buscar os meninos à escola, ao futebol, à natação, ao bailado e à música, quando no caso deles o autocarro tinha servido perfeitamente. De um papel insignificante na família, passaram a reis e senhores da casa.

 

Surgiu a preocupação de proteger as crianças de todos os traumas, ocultando-lhes os problemas, fazendo-os crer que o mundo é cor-de-rosa. E impôs-se a teoria criada pelos psicólogos do estímulo positivo. Até aí tudo bem, se não levada ao exagero.

 

O menino nasce e ouve todos os dias que é o mais lindo do mundo. Faz um desenho e é o maior artista do mundo. Diz alguma coisa e é o mais inteligente do mundo. Interrompe as conversas dos adultos e todos têm que lhe dar atenção, por maiores parvoíces que diga.

 

Na escola não o corrigem nem contrariam. Se disserem que o desenho podia estar melhor ainda aparece o pai no dia seguinte com ameaças ao professor, por estar a frustrar as expectativas e, com isso, a hipotecar o futuro da criança. No ensino superior também o deixam passar incólume, pois, desde que pague, tem direito ao diploma. As faculdades hoje apenas vendem diplomas.

 

O pior é quando o menino, já grande, consegue arranjar um emprego. Quando lhe fazem o primeiro reparo sobre a qualidade do trabalho ele revolta-se. Então, toda a vida ouviu dizer que era fantástico e agora vem alguém pôr-lhe defeitos? A ele, que sempre se julgou o maior…

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:26


2 comentários

De Brissos Lino a 18.02.2014 às 16:34

Pedro,
subscrevo todo o texto excepto a frase que mete "os psicólogos" todos no mesmo saco. Há diferentes abordagens psicológicas como se sabe. E muito psicólogos e psicoterapeutas não funcionam assim como é sugerido.
Além disso, mesmo quando a responsabilidade da situação é efectivamente dos psicólogos, os maiores culpados são sempre os pais.
Brissos Lino

De Carlos a 18.02.2014 às 17:00

Logo para começar, o título nem condiz com o conteúdo. "A culpa é dos psicólogos" mas culpa de quê? dos exageros dos pais? sim, existe o "estímulo positivo" é importante, mas os psicólogos também dizem e fartam-se de escrever sobre a importância de dizer "não". Basta procurar na internet ou em qualquer biblioteca. Depois, até a palavra "culpa" é, na minha opinião, mal usada. A palavra "consequência" seria mais adequada. Sim, realmente hoje os pais protegem mais os filhos e evitam que andem sozinhos, consequência dos raptos, dos pedófilos e de outros perigos que as crianças sofrem e nos entram todos os dias pela televisão. Casos como o Rui Pedro e a Maddie só para citar alguns, fazem parte dos receios de qualquer pai. E portanto, a culpa é dos psicólogos??? Realmente um raciocínio brilhante!!! Eu gostava era que o autor deste texto me explicasse se deixa os filhos sozinhos na rua e se os educa dizendo só "sim". Nunca nenhum psicólogo lhe disse para evitar as gratificações sem esforço? Bom, se não ouviu é pena. Porque isto de apontar o dedo aos outros é fácil. Hoje em dia qualquer um escreve o que quiser. Enfim... Se calhar é hora dos pais assumirem as suas responsabilidades, ouvirem os professores e educadores!!!

Comentar post





Últ. comentários

  • silva

    A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...

  • silva

    A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...

  • silva

    A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...

  • silva

    A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...

  • silva

    A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...